28 de jun de 2009

The King of Pop


Um dia que parecia como outro qualquer, mas que de repente entrou para a história mundial. Quinta-feira, 25 de junho de 2009, foi nesta data que um mito finalizou sua trajetória. Todo mundo certamente vai manter na lembrança o modo como soube e qual foi a reação diante da triste notícia de que o Rei do Pop havia falecido. Michael Jackson deixou uma multidão de súditos inconformados. Certamente, o primeiro pensamento na cabeça das pessoas era que tudo não passava de uma brincadeira de mau gosto, aquilo não poderia estar acontecendo. Pensamento alimentado pelos desencontros de informações dos órgãos da imprensa, que pareciam temer anunciar que a informação era real.

Esse sentimento afetou a todos, fãs ou não, e conseguiu derrubar o poderoso Google, devido ao grande número de buscas por informações sobre o astro. Isso tudo porque Michael não era simplesmente um cantor, ou um negro que virou branco, ou ainda, um seguidor de Peter Pan. Ele simplesmente conseguiu influenciar pessoas por mais de 30 anos. Mesmo os nascidos nesse novo século, que hoje estão à beira dos 10 anos de idade, conhecem as músicas do Rei e tentam imitar seus passos de dança. Quem nunca tentou fazer o Moonwalk?

Michael Joseph Jackson começou sua carreira ao lado dos irmãos no grupo Jackson five, ainda criança e enfrentou a dura disciplina imposta por seu pai. Sendo esse o possível motivo para sua síndrome de Peter Pan. Ele não queria ser adulto e por viver cercado de crianças acabou ganhando a fama de pedófilo. Está circulando na Internet uma possível declaração de Jordan Chandler - que com 13 anos, em 1993, o acusou por abuso sexual - “Eu nunca quis prejudicar Michael Jackson ou mentir sobre algo tão grave. Meu pai foi quem me forçou a mentir”.

Seu auge foi na década de 80, foi em dezembro de 1982 que lançou "Thriller", até hoje o disco mais vendido de todos os tempos. Entre os marcos deste álbum temos o vídeo de Thriller, que revolucionou o conceito de videoclipe. Michael investiu muito mais dinheiro que o reservado para essas produções na época. O resultado foi um curta-metragem, com a participação do mestre do terror Vincent Price – O dono da risada maléfica do final do vídeo. E foi durante "Billie Jean", música que também pertence a este álbum, que Michael deslizou de costas pelo palco e eternizou o passo “moonwalk”. Sem dúvidas o mais copiado de todos os tempos.

Se os anos 80 foram reservados para o estrondoso sucesso de Michael, os 90 ficaram com os escândalos. Ele estava “desbotando”, cada vez mais branco, com acusações de pedofilia e com o rosto modificado por excessivas cirurgias plásticas. Casou-se com Lisa Marie Presley, filha de Elvis Presley - o Rei do Rock. O casamento real ficou na mira da mídia que especulava ser apenas uma jogada de marketing. No próprio dia 25, a ex-esposa do cantor declarou em seu blog que o relacionamento deles era verdadeiro. E disse ainda, que em uma certa conversa Michael afirmou que morreria como o sogro.

As comparações com Elvis são pertinentes, Elvis morreu viciado em remédios e Michael parece ter sofrido do mesmo mal. Outro ponto semelhante são as indagações sobre o motivo que o levou a morte. A grande comoção dos fãs também faz lembrar a morte do Rei do Rock. A diferença entre os dois fica na abrangência do Rei do Pop. Nenhum outro conseguiu atingir os pontos do planeta que ele atingiu. Não existe quem não conheça e saiba a história dele.

No próximo dia 12 de julho, Michael iniciaria uma nova turnê com 50 shows em Londres. Os ingressos se esgotaram rapidamente, e agora com a sua morte, os fãs serão ressarcidos pela empresa organizadora. A AEG Live pode ter um prejuízo de 348 milhões de euros, segundo a pagina eletronica da MTV. Mas já circula na Internet a possibilidade da estrutura armada para os espetáculos ser aproveitada para o tributo ao Rei do Pop. E segundo o site Famaosfera, Madonna estaria disposta a participar da homenagem.

Seu falecimento afetou a programação das emissoras de TV, o fez ser capa de grande parte dos jornais do planeta e até mesmo fez a revista Times lançar uma edição especial sobre o cantor (a última edição especial foi no episódio de 11 de setembro). Em dois dias as vendas de seus discos dispararam, e o levou ao topo dos rankings novamente. Além de manifestações em sua homenagem em todos os pontos do mundo, ele fez o congresso americano parar o debate sobre a lei de combate as mudanças climáticas para homenageá-lo, segundo foi publicado pelo jornal Folha de São Paulo. O governo do Estado do Rio de Janeiro anunciou a construção de uma estátua no moro Dona Marta, onde ele gravou parte do clipe "They Don't Care About Us”. Nas ruas as pessoas só falam no que ele representou em suas vidas e de como suas músicas as marcaram. Ele é e ainda será por um bom tempo o assunto da vez. Finalizou sua passagem entre nós de forma inesperada, como todo bom mito faz.